Sintricomb participa da reunião do Fórum Sindical de Brusque

O Sintricomb participou da reunião mensal do Fórum de Entidades Sindicais de Trabalhadores de Brusque e região, realizada na tarde de segunda-feira, 13, no Sintrivest. A diretora Patricia Cestari representou a entidade na ocasião.

Patricia abordou, na oportunidade, sobre a negociação coletiva da construção civil e do mobiliário deste ano, encerrada em abril. Afirmou que houve acero entre o sindicato laboral, Sintricomb, e o patronal, Sinduscon, para que haja reajuste salarial de 5,5% para quem recebe os pisos da categoria, e o referente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para quem ganha acima dos pisos, além de valores no subsídio cônjuge, prêmio assiduidade e a inserção de cláusula que garanta estabilidade ao trabalhador que está prestes a se aposentar quando restar um ano para isso.

Ainda na reunião do Fórum Sindical, os sindicatos debateram a possibilidade de ter o próprio posto de combustíveis para fornecer a preço reduzido ou de custo aos associados. O elevado preço dos combustíveis na cidade, principalmente a gasolina, em comparação a outros municípios da região, requer ação imediata para auxiliar os mais de 40 mil associados aos doze sindicatos que integram o órgão.

A situação foi levantada no encontro pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Brusque (Sinseb), Orlando Soares Filho, que também é secretário do Fórum na atual gestão. Ele relatou casos em que verificou a disparidade no preço da gasolina entre Brusque e Itajaí, por exemplo. Além disso, a proximidade de preço explorado pelos postos em Brusque chama atenção, levantando de tempos suspeita de formação de carteis entre os estabelecimentos – quando preço é combinado.

“É em todas as categorias, mas na minha, em especial, a dos servidores públicos, os trabalhadores utilizam e precisam de veículos para chegar a seus postos de trabalho. E R$ 0,30 a mais em relação a postos de outras cidade sé um crime e pesa no salário. Trouxe esse tema para o Fórum Sindical”, destaca ele.

Na reunião, os membros do Fórum discutiram desde a elaboração de estuado para ver a possibilidade de se ter um posto a fornecer combustível aos associados – considerando os dependentes, o número de pessoas atendias passa de 50 mil -, até denúncia junto aos órgãos fiscalizadores, como Procon e Ministério Público, sobre a suspeita de formação de cartel.

O coordenador do Fórum, Jean Carlo Dalmolin, afirma que na atual situação que vivem os sindicatos, com grandes dificuldades de negociar itens como reajuste salarial, as entidades precisam voltar sua atenção a outros problemas que afetam o trabalhador e, dessa forma, buscar novas formas de auxiliar as categorias. Assim como já é feito há muitos anos na área de assistência em saúde.

“Enquanto que na região, Itajaí e Blumenau, o preço da gasolina custa na faixa de R$ 4,00, aqui em Brusque é praticado de R$ 4,39 a R$ 4,60. Deve existir alguma coisa de errado nisso”, pontua ele sobre a situação.

Ideia é semelhante à adotada na abertura de farmácia

Na década de 1990, vários sindicatos de trabalhadores de Brusque se uniram para abrir um estabelecimento farmacêutico e vender medicamentos a preço de custo ou reduzido para associados. Assim nasceu a Farmácia do Trabalhador, em atividade até os dias de hoje.

O estabelecimento fica localizado no Centro de Brusque e possui filial na cidade de Guabiruba. Nela, os associados aos sindicatos mantenedores podem comprar medicamentos e outros produtos a preços reduzidos.  O valor fica até 50% mais barato que nos demais estabelecimentos.

“A Farmácia do Trabalhador cumpriu um importante papel social”, afirma Jorge Luiz Putsch, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos (Sintimmmeb), uma das entidades mantenedoras da farmácia.

Sintricomb participa da reunião do Fórum Sindical de maio
Sintricomb participa da reunião do Fórum Sindical de maio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 17 =

Pin It on Pinterest