Negociação resulta em reajuste salarial com ganho real na construção civil de Brusque

A negociação intermediada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque região (SINTRICOMB) conseguiu conseguiu reajuste salarial acima do que determina a lei e do índice de inflação aos trabalhadores do setor. Foram 6% nos valores dos pisos da categoria e 5% para quem recebe acima dos pisos, enquanto que a lei garante o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que fechou em 3,83% no acumulado. A negociação foi finalizada pelo SINTRICOMB nesta terça-feira, 16, após reunião com diretores do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento (SINDUSCON), na sede da entidade patronal, também em Brusque.

Na oportunidade, representantes dos dois sindicatos discutiram as propostas elaboradas em assembleia pelos empregados, sob a liderança do SINTRICOMB, e discutidas em reunião da diretoria dos empresários, por meio do SINDUSCON. A pedida inicial dos trabalhadores era de 10%, mas como o índice de inflação ficou abaixo de 4%, o percentual se tornou difícil de ser obtido. Com isso, as duas partes debateram e acertaram o percentual de 6% nos valores dos pisos salariais da categoria e 5% para quem recebe acima deles. Não fosse a negociação, o reajuste, por lei, teria sido de apenas 3,83%.

Além do reajuste, a negociação coletiva obteve  outras conquistas para os trabalhadores. Entre elas uma cláusula que assegura aos empregados do setor três dias de atestado quando precisar acompanhar familiar doente e o abono do restante para não descontar das férias. Outra trata de valor referente à suplementação alimentar, similar a um auxilio alimentação, que ficará a critério das empresas conceder a seus empregados ou não. Também houve reajuste no valor do seguro de vida que as empresas precisam pagar por trabalhador, passando de R$ 12 mil para R$ 20 mil. Além destas, outras cláusulas foram mantidas, como pagamento de prêmio frequência (assiduidade) e subsídio cônjuge.

Para o presidente do SINDUSCON, Ralfh Maschio e Silva, foi uma negociação exaustiva, mas que contemplou todos os lados diante de um cenário que não se vislumbra muito positivo. “Viemos acompanhando os índices nos meses que antecederam e, neste, o INPC, realmente, caiu um pouco. Foram 3,83% e ficamos felizes em poder conceder um reajuste até acima da inflação”, pontua ele.

Já o presidente do SINTRICOMB, Izaias Otaviano, afirma que o índice ficou muito abaixo do que esperava a comissão de negociação da entidade. No entanto, além da manutenção de benefícios em diversas cláusulas e o ganho real de quase 2% encerra a negociação de forma positiva para a classe. “Todos os dois índices (pisos e acima dos pisos) com ganho real. Então, saímos satisfeitos dessa negociação coletiva. Sabemos que poderíamos avançar mais nessa questão, mas foi o que conseguimos chegar”, frisou ele.

A negociação coletiva de trabalho da construção civil e do mobiliário de Brusque e região teve início em março, com a realização de assembleias dos trabalhadores com o sindicato laboral. Depois, a pauta foi encaminhada ao SINDUSCON para deliberação dos empresários.

O que é ganho real?

A legislação determina que haja reajuste nos salários dos trabalhadores com base em índices oficiais. O principal deles é o INPC. O cálculo leva em conta a inflação acumulada no período de doze meses entre uma negociação e outra. Esse percentual é utilizado como base e é obrigação das empresas o repassarem nos vencimentos salariais. O ganho real é o percentual negociado entre os sindicatos dos empregados e dos empresários e que fica acima desse percentual. Ou seja, como o INPC do período ficou em 3,83% e os sindicatos fecharam acordo de reajuste de 6% nos pisos, por exemplo, o ganho real foi de 2,17%.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × dois =

Pin It on Pinterest