Começa a negociação coletiva da construção civil e mobiliário de Brusque e região

Começou a negociação coletiva dos setores de construção civil e mobiliário de Brusque e região, que vão definir os reajustes salariais das categorias para o período 2022/2023. Duas assembleias realizadas nas cidades de Brusque e Botuverá no último final de semana e a entrega das propostas ao sindicato dos empresários na segunda-feira, 21, marcam o começo das tratativas.

Na noite de sexta-feira, 18, aconteceu a assembleia na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque e região (SINTRICOMB). O encontro esteve aberto a participação e profissionais que atuam nas cidades de Brusque, Guabiruba, Nova Trento, Canelinha, São João Batista e Major Gercino.

Já no sábado, 19, pela manhã foi a vez dos trabalhadores lotados nas cidades de Botuverá, Vidal Ramos, Imbuia e Leoberto Leal participarem das discussões. A assembleia teve como local o Pesque-Pague Raulino Graf, na Beira Rio.

De acordo com o presidente do SINTRICOMB, Izaias Otaviano, os trabalhadores do setor aprovaram pedido de reajuste salarial de 15%. O percentual equivale ao acumulado da inflação nos últimos 12 meses, mais o chamado ganho real, que é o valor excedente ao obrigatório por lei. Na visão dele, o setor está aquecido e o momento permite avançar quanto ao aumento salarial justo.

“Tiramos uma pauta de encaminhamento com cláusulas mínimas, que seriam a manutenção das existentes, as sociais quanto as econômicas, e o aumento nos salários dos trabalhadores com data base no dia 1º de maio”, destaca ele.

O resultado das assembleias foi um documento já entregue ao Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque, Guabiruba, Botuverá e Nova Trento (SINDUSCON). A reunião ocorreu na manhã de segunda-feira, na sede do sindicato laboral. Representando a entidade empresarial estiveram o atual presidente, Ralf Maschio e Silva, e o vice-presidente, Fernando José de Oliveira.

A negociação coletiva do setor de construção civil e mobiliário atinge, direta e indiretamente, mais de dez mil pessoas, entre trabalhadores lotados na base territorial de atuação do sindicato dos empregados e seus familiares.

Iniciada com as assembleias da última sexta-feira, a negociação resultará na renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que terá validade de um ano, a contar de maio de 2022 a abril de 2023. O prazo para que esteja finalizada é 1º de maio.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 − três =

Pin It on Pinterest