Trabalhadores das cerâmicas e olarias de Canelinha iniciam a negociação coletiva deste ano

Foi iniciada a negociação coletiva dos trabalhadores das cerâmicas e olarias de Canelinha. A assembleia que deu largada ao processo ocorreu na manhã de domingo, 28 de janeiro, na subsede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Brusque e região (SINTRICOMB).

Na oportunidade, os trabalhadores presentes definiram pedido de reajuste salarial de 6%. O valor equivale ao índice de inflação dos últimos 12 meses, cujo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumir) ficou em 3,71% (referente ao período de janeiro a dezembro de 2023) mais ganho real.

Além do pedido de reajuste, os trabalhadores relataram ao sindicato e pediram apoio para resolver situações pontuais que vêm ocorrendo dentro de algumas empresas. O não cumprimento de algumas cláusulas presentes na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e casos relacionados a férias.

O presidente do SINTRICOMB, Izaias Otaviano, afirmou que fará reuniões com os trabalhadores e as direções das empresas para tratar dos assuntos levados à assembleia. “Esses foram os pedidos dos trabalhadores, que vamos encaminhar o quanto antes ao sindicato patronal para que possamos fechar o mais rápido possível essa negociação”, destacou ele.

Uma comissão de negociação foi formada entre representantes do sindicato e dos trabalhadores para tratar do assunto.

Agora, o SINTRICOMB vai enviar um documento com o que foi discutido e está sendo pleiteado pelos trabalhadores para o Sindicato das Indústrias de Cerâmicas e Olarias do Vale do Rio Tijucas (SINCERVALE), que intermedia o empresariado do setor na região.

A negociação coletiva das cerâmicas e olarias de Canelinha atinge em torno de 600 trabalhadores.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze + 17 =

Pin It on Pinterest